Perguntas frequentes

  • Para cumprir esta política, os investigadores deverão publicar em qualquer uma das seguintes opções:

    • Revistas de acesso aberto completo.

    • Revistas de acesso restrito que permitam a divulgação da versão publicada ou da versão revista num repositório de acesso público.

    • Plataformas de publicação de acesso aberto que tenham um procedimento de revisão aberta.

    • Revistas que permitam um acesso aberto individualizado por artigo.


    A publicação numa revista ou plataforma que, por questões de embargos, não permita cumprir totalmente o compromisso de Acesso Aberto deverá ser previamente aprovada pela Fundação ”la Caixa”. Apenas será aprovada de forma excecional quando não existam formas alternativas razoáveis para cumprir plenamente esta política.

  • É aceitável qualquer repositório institucional ou temático que siga as diretrizes de OpenAIRE.

  • Recomenda-se que o depósito seja feito imediatamente após a publicação, ainda que o acesso ao texto completo tenha de estar restringido durante um período de tempo (embargo), a menos que a revista ou a plataforma correspondente o regule de forma mais restrita. Deverá, contudo, ser depositado no máximo seis meses após a data de publicação.

  • Seguindo as diretrizes de OpenAIRE, deverá ser utilizado o metadado "dc.relation.projectID" com os seguintes valores:

    info:eu-repo/grantAgreement/LCF/FundingProgram/ProjectID/

    O project ID é gerado ao introduzir o projeto na aplicação da Fundação ”la Caixa”, pelo que será necessário contactar o gestor correspondente de cada beneficiário para obtê-lo.

  • No repositório deve ser possível aceder à última versão revista, quer seja a versão final tal como aparece na publicação, quer seja a versão revista sem formatação final (também designada postprint ou versão do autor), mas com os mesmos conteúdos da versão publicada.

  • Qualquer conjunto de dados que sustente os resultados difundidos numa publicação científica deverá ser tornado público em simultâneo com a publicação. Adicionalmente, se os beneficiários quiserem tornar públicos outros dados obtidos ao longo da atividade financiada, podem fazê-lo de acordo com o plano de gestão de dados entregue. No caso de dados de resultados negativos, recomenda- se também a sua publicação em repositórios de acesso público ou em revistas especializadas1 para evitar a sua reprodução.
     

    1. BMC Research Notes (https://bmcresnotes.biomedcentral.com), Journal of Unsolved Questions (http://junq.info), Research Ideas and Outcomes (http://riojournal.com).
  • Os dados podem ser publicados em qualquer repositório preparado para preservar e difundir este tipo de objetos. O repositório pode ser de uma instituição ou comunidade científica, sendo importante que lhe seja atribuído um identificador persistente (doi, handle ou afim) e se facilite a sua localização. Para encontrar o repositório mais adequado, consulte o diretório re3data (www.re3data.org).

  • Os dados que suportem os resultados obtidos ao longo da investigação financiada pela Fundação ”la Caixa” e que tenham sido difundidos em publicações científicas deverão ser tornados públicos ao mesmo tempo num repositório de dados que permita o seu acesso público e atribua um identificador permanente a cada conjunto de dados.

  • Os dados deverão seguir os princípios FAIR, ou seja, deverão ser localizáveis, acessíveis, interoperáveis e reutilizáveis, de forma o mais aberto possível. Dá-se prioridade aos formatos padrão e abertos, tendo em conta as diferentes características de cada disciplina científica.

  • É suposto os beneficiários terem protegido os resultados da investigação previamente ao pedido de publicação.

    Quanto aos dados de investigação que suportem os resultados publicados, a política contempla a possibilidade de solicitar uma exceção da aplicação da política em casos justificados.

    Em qualquer caso, os beneficiários serão responsáveis por tomar medidas para cumprir a política ora descrita sem incidir negativamente na proteção e/ou exploração dos resultados; de todo o modo os beneficiários poderão solicitar à Fundação ”la Caixa” a aplicação de uma exceção à política, com a correspondente justificação.

  • A política terá efeito a partir de 2019 para todos os beneficiários. Recorde-se que, desde 1 de janeiro de 2018, a Fundação ”la Caixa” já conta com uma Política de Acesso Aberto que, a partir daquela data, se estende a todos os resultados da investigação.