Mostrar texto Ocultar texto

A Fundação "la Caixa" lança a segunda edição do concurso de projetos de investigação em saúde.

Quer apresentar uma proposta?

  • Dados-chave

    DADOS-CHAVE

    Abertura do concurso
    8 de novembro de 2018, às 14 h CET

    Encerramento do concurso
    15 de janeiro de 2019, às 14 h CET

    Pré-seleção remota por peer-review
    De fevereiro a junho de 2019

    Avaliação presencial por Comités de Especialistas
    6 e 7 de junho de 2019 em Barcelona

    Anúncio dos resultados
    Julho de 2019

    Execução dos projetos selecionados
    De setembro de 2019 a setembro de 2022

  • Objetivos

    OBJETIVOS

    A Fundação Bancária ”la Caixa” lança a segunda edição do concurso para projetos de investigação em biomedicina e saúde, que tem o objetivo de identificar e impulsionar as iniciativas mais promissoras, de maior excelência científica e valor potencial e impacto social, tanto de investigação básica, como clínica ou translacional.

    Têm prioridade os projetos nas seguintes áreas temáticas:

    • Neurociências.

    • Oncologia.

    • Doenças cardiovasculares e metabólicas relacionadas.

    • Doenças infecciosas.

    • Tecnologias facilitadoras nas áreas temáticas anteriores.

  • Ajudas

    AJUDAS

    Nesta segunda edição de 2018, as propostas de projeto, com um máximo de 3 anos de execução, podem ser:

    • Individuais, apresentadas por uma única Instituição de Investigação (Instituição Requerente). Podem receber apoios até um máximo de 500 000 €.

    • Em consórcios de investigação, apresentados por, no mínimo, duas Instituições de Investigação, e coordenados pela Instituição Requerente. Podem receber apoios até um máximo de 1 000 000 €.

    Em ambos os tipos de propostas, podem incluir-se Organizações Colaboradoras (Cooperating Organizations), entidades da sociedade civil como, por exemplo, associações de doentes, ou empresas constituídas.

    A intenção é distribuir os apoios de uma forma aproximadamente equitativa entre as diversas Áreas Temáticas, embora a distribuição final dependa da qualidade e das características específicas dos projetos apresentados neste Concurso. O facto de as propostas serem individuais ou em consórcio, ou de investigação básica, clínica ou translacional, não servirá, em caso algum, como critério de seleção durante o processo de avaliação. Os únicos critérios de seleção para a avaliação das candidaturas são os especificados nos termos do concurso.

    A atribuição de um orçamento corretamente ajustado às atividades a desenvolver será um ponto avaliado rigorosamente no processo de avaliação dos projetos.

  • Beneficiários

    BENEFICIÁRIOS

    Instituições requerentes (Host Institutions). Podem apresentar a concurso projetos liderados por investigadores de Instituições de Investigação sem fins lucrativos localizados em Espanha e em Portugal.

    Líder do Projeto (Project Leader). Além disso, o Investigador Principal da Instituição Requerente deverá ser o Líder do Projeto, o qual apresenta a candidatura ao concurso e dirige a execução global do projeto.

    Instituições de investigação. Qualquer instituição sem fins lucrativos dedicada à investigação e que desenvolva atividades no projeto. Em projetos individuais, a única instituição de investigação é a requerente. Em consórcios de investigação, devem existir pelo menos 2 instituições de investigação, com um máximo de 5.

    Investigadores principais (Principal Investigators). Cada instituição de investigação deve possuir um investigador principal responsável pela execução das atividades do projeto levadas a cabo na sua instituição.

    Organizações Colaboradoras (Cooperating Organizations).
    Tanto os projetos individuais como os consórcios de investigação podem incluir também outras instituições sem fins lucrativos cuja atividade principal não seja a investigação (por exemplo, entidades da sociedade civil, associações de doentes) e/ou empresas estabelecidas.

    Empresas. As empresas estabelecidas, quer sejam membros do consórcio ou não, apenas podem receber fundos do projeto se forem subcontratadas por uma instituição sem fins lucrativos que seja membro do consórcio.

    Qualquer instituição inserida num projeto deverá ter atividade e, portanto, orçamento atribuído no projeto. As instituições não localizadas em Espanha ou em Portugal podem receber um máximo de 30% da totalidade do orçamento do projeto.

    Membros da Equipa (Team Members). Todos os membros da equipa do projeto devem fazer parte da instituição requerente, das organizações colaboradoras ou das instituições do consórcio de investigação.

  • Elegibilidade

    ELEGIBILIDADE

    Nas Rules for Participation (disponível só em inglês)poderá encontrar mais detalhes sobre todos os critérios de elegibilidade e a documentação a apresentar para completar a candidatura

    Vencedores anteriores. Os Project Leaders (PL) vencedores da edição Health Research 2017 (HR17) não poderão apresentar-se como PL de novas candidaturas nesta edição, visto que o apoio concedido ainda está em vigor.

    Nota mínima na edição anterior da Health Research. A fim de potenciar a qualidade das propostas, os Project Leaders (PL) de projetos que obtiverem uma nota inferior a 5,50 na avaliação por peer-review do presente concurso (HR18) não poderão apresentar-se como PL em candidaturas na edição seguinte (HR19). As notas das candidaturas apresentadas na edição HR17 não limitam a apresentação de candidaturas na presente edição (HR18).

     

    Não têm direito a apresentar candidatura os projetos que desenvolvam:

    • Estudos cujos resultados estejam submetidos a direitos de qualquer natureza, por parte de uma entidade com fins lucrativos, antes do encerramento das candidaturas.

    • Estudos que avaliem a eficácia ou a segurança de produtos, terapias, dispositivos médicos ou sistemas de diagnóstico de entidades com fins lucrativos.

  • Seleçäo de projetos

    SELEÇÃO DE PROJETOS

    A seleção das candidaturas será realizada através de um processo rigoroso que cumpre as normas mais exigentes de qualidade, imparcialidade, objetividade e transparência.

    Esta incluirá uma primeira fase de pré-seleção remota de projetos por peer review, e uma segunda fase de seleção presencial por comités de especialistas internacionais relevantes em cada uma das áreas de investigação.

  • Faq

    FAQ

  • Contato

    CONTATO

    Perguntas e respostas

    Email: healthresearch@fundaciolacaixa.org

     

    Caso tenha mais questões, convidamo-lo a vir assistir às sessões informativas:

Mostrar texto Ocultar texto
  • PROCESSO DE SOLICITAÇÃO

    1. Apresente a sua candidatura e documentação adicional entre 8 de novembro, às 14 h CET e 15 de janeiro às 14 h CET de 2018, acedendo à private area, para apresentar candidaturas para os programas da Fundação ”la Caixa”.

    2. É indispensável que se registe como Project leader (com os seus dados pessoais e NIF) para o concurso Investigação em Saúde 2018, e que utilize o seu nome de utilizador para iniciar uma candidatura. Se já tiver um nome de utilizador e não se lembrar dele, recupere-o na ligação seguinte forgotten password?

    3. Durante o processo de registo, deverá vincular-se à sua entidade:

      - Se a sua entidade estiver registada, ao introduzir o respetivo CIF poderá vinculá-la ao projeto. Para poder processar a candidatura, o gestor da entidade terá de confirmar que a documentação da acreditação está em vigor.

      - Caso a sua entidade não esteja registada, deverá entrar em contacto com o gestor da sua entidade para a acreditar. Não poderá iniciar a sua candidatura enquanto a sua entidade não estiver registada.

      A cada entidade corresponde um único gestor, que poderá aceder às informações gerais da instituição e à lista de candidaturas apresentadas da entidade.

    4. Pode descarregar o modelo de formulário de candidatura para a Investigação em Saúde 2018, apenas com fins informativos.

    5. Não se esqueça de preencher a candidatura em inglês. Não aceitamos candidaturas redigidas em qualquer outro idioma, com informações ou documentação incompletas, entregues em papel ou submetidas por qualquer outro meio ou fora do prazo.

  • FAQ

  • CONTACTO

    Perguntas e respostas
    Email: healthresearch@fundaciolacaixa.org

Mostrar texto Ocultar texto
  • PROCESSO DE SELEÇÃO

    O procedimento de avaliação do projeto consta das duas fases seguintes:

    1. Exame de critérios de elegibilidade: Todos os pedidos recebidos serão revistos para verificar se cumprem os critérios das Bases do Concurso. Se um pedido for denegado, a Fundação ”la Caixa” enviará ao requerente uma notificação por correio eletrónico onde se exporão os motivos da denegação.

    2. Processo de pré-seleção por peer review: Os pedidos que passarem a fase de elegibilidade entrarão num processo de pré-seleção por peer review realizado por três ou quatro especialistas internacionais com uma ampla experiência na(s) disciplina(s) e na área temática do pedido e com uma ampla lista de publicações ou contribuições na referida área temática. Os pedidos que receberem as melhores pontuações em cada área temática do concurso passarão à fase seguinte. A Fundação ”la Caixa” informará por correio eletrónico os candidatos, quer estes tenham sido selecionados ou não. Os critérios de avaliação do concurso aplicar-se-ão a todos os projetos.

    3. Comités de seleção: Haverá cinco comités de seleção, um por cada área temática do presente concurso. Cada comité de seleção será constituído por um grupo de 8 a 12 especialistas de prestígio internacional com uma ampla experiência na área temática do pedido e uma longa lista de contribuições na referida área temática.

      Os candidatos cujos pedidos passem a fase de pré-seleção serão convocados para uma entrevista em pessoa com um comité de seleção pluridisciplinar constituído por investigadores com uma longa experiência em processos de avaliação e seleção.

      No fim desta fase, cada comité de seleção escolherá o número final de projetos premiados com base nos critérios de avaliação das Bases do Concurso.

Perguntas frequentes

Encontrará de seguida uma lista das perguntas mais frequentes. Esta lista é atualizada periodicamente, de maneira que encontrará informações muito úteis para poder completar a sua candidatura.

Se não encontrar a resposta que pretende, pode contactar-nos através de healthresearch@fundaciolacaixa.org
  • Como Líder de Projeto, deve registar-se na aplicação vinculando-se à sua instituição.

    Se a instituição estiver acreditada para a edição HR17, encontrá-la-á procurando o respetivo CIF. Desta forma, poderá introduzir os dados (é imprescindível que sejam os dados do Project Leader) para obter um utilizador e uma palavra-passe.

    Se, quando introduzir os seus dados, o sistema informar que o seu NIF já existe, pode utilizar a palavra-passe do ano anterior. Se não se lembrar dela, recupere-a na ligação seguinte Esqueceu-se da sua palavra-passe?

    Para poder tramitar o seu pedido, o gestor da entidade terá de validar a vigência da documentação da acreditação.

    Se a sua entidade não estiver registada, será necessário que entre em contacto com o gestor da entidade pertinente para tramitarem a acreditação. Não poderá iniciar o processo da aplicação enquanto a entidade não estiver acreditada.

  • Pode apresentar-se qualquer projeto de investigação novo nas seguintes áreas temáticas,, compreendidas num sentido amplo: (1) Neurociências, (2) Oncologia, (3) Doenças cardiovasculares e metabólicas relacionadas, (4) Doenças infecciosas e (5) Tecnologias facilitadoras nas quatro áreas temáticas anteriores.

  • Projetos nos quais a investigação se baseie no desenvolvimento de tecnologias facilitadoras e que visem qualquer uma das áreas temáticas anteriores. As tecnologias facilitadoras incluem: micro e nanoeletrónica, ciência computacional, big data, fotónica, nanotecnologia, biotecnologia, materiais avançados e sistemas de fabrico avançados.

    Entre os avaliadores destes projetos, estarão especialistas nas diversas tecnologias facilitadoras, além de especialistas em biomedicina e saúde das várias áreas temáticas.

    e o núcleo do projeto for uma doença ou patologia, recomendamos que o mesmo seja apresentado na respetiva área temática, para uma melhor avaliação.

  • Projetos sobre doenças cardiovasculares e doenças metabólicas associadas a riscos ou alterações cardiovasculares. Num sentido amplo, a investigação das candidaturas em doenças metabólicas deve estar relacionada com a patologia cardiovascular.

  • De preferência, os projetos deverão ter uma duração de 3 anos e desenvolver-se entre setembro de 2019 e setembro de 2022.

    A duração máxima dos projetos será de 3 anos.

  • Sim, este concurso não é incompatível com outros programas da Fundação ”la Caixa”, desde que o montante solicitado não receba o apoio económico destes programas da Fundação ”la Caixa”.

  • Não. Os Project Leaders (PL) galardoados com um apoio do Concurso em Saúde HR17 não podem apresentar-se como PL nesta edição, visto que o apoio concedido ainda está em vigor.

  • Um médico sem título de doutoramento em investigação (PhD) pode participar neste concurso como investigador principal ou como membro da equipa de uma instituição do consórcio de investigação, mas não como Project Leader.

  • Um investigador só pode apresentar-se como Líder de um único projeto. Um Project Leader pode surgir também em diversos projetos como investigador principal ou como membro de uma equipa se a sua instituição fizer parte de outros projetos em consórcio de investigação. Uma instituição não possui um limite de apresentação de candidaturas.

  • Sim, nos casos de projetos individuais, o orçamento máximo que é possível solicitar na candidatura é de 500 000 €.

    Nos projetos individuais, além da instituição requerente, poderão participar entidades da sociedade civil (tais como associações de doentes) ou empresas constituídas.

  • Um consórcio de investigação é um grupo de duas ou mais instituições de investigação que colaboram num projeto. Para este concurso, os consórcios podem ser constituídos por um máximo de 5 instituições de investigação (incluindo a Instituição Requerente).

    Tanto nos projetos individuais como em consórcio, podem participar entidades da sociedade civil (tais como associações de doentes) ou empresas constituídas.

  • Não. O facto de as candidaturas serem individuais ou em consórcio não servirá, em caso algum, como critério de seleção durante o processo de avaliação. As candidaturas de projetos apresentados por equipas de uma única instituição e por equipas constituídas por membros de mais de uma instituição serão avaliadas de acordo com os mesmos critérios de avaliação, especificados nos termos do concurso.

  • Sim, as avaliações das candidaturas apresentadas na edição HR17 não limitam a apresentação de candidaturas na presente edição (HR18).

    Esta limitação será aplicada a partir do concurso atual. Os Project Leader (PL) dos projetos que obtiverem uma nota inferior a 5,50 na avaliação por peer-review do concurso HR18 não poderão apresentar candidaturas como PL no concurso HR19.

    Na edição HR17, 43,4 % dos projetos receberam uma nota inferior a 5,50.

  • Não. Todos os documentos para a credenciação da Host Institution podem estar na língua original.

  • O documento “Host Institution Statement” tem de ser assinado pelo representante legal da Host Institution, o Líder do Projeto e os representantes legais das Organizações Colaboradoras. No caso de Consórcios de Investigação, os Investigadores Principais de todas as Instituições de Investigação do Projeto autorizados para assinar também assinarão.

    Podem-se apresentar assinaturas originais e/ou eletrónicas, havendo a possibilidade de estarem na mesma página ou em páginas diferentes, seguindo o modelo disponível na aplicação online (a partir de 8 de novembro de 2018). A assinatura deste documento é obrigatória para a candidatura do projeto ser aceite.

  • Não, as empresas não podem apresentar projetos como instituições requerentes, mas podem ser Organizações Colaboradoras (Cooperating Organizations), tanto em projetos individuais como em consórcios de investigação.

  • Não. As empresas não podem requerer orçamento. No entanto, existe a possibilidade de colaborações com empresas através da subcontratação inserida no orçamento de uma instituição do projeto.

    No caso de colaborações com empresas muito relevantes em investigação, através de subcontratação, estas empresas podem surgir como Organizações Colaboradoras (Cooperating Organizations).

  • Não podem apresentar candidatura os projetos que desenvolvam estudos cujos resultados estejam submetidos a direitos, de qualquer natureza, por parte de uma entidade com fins lucrativos antes do encerramento das candidaturas. Da mesma forma, também não possuem esse direito os estudos que avaliem a eficácia ou a segurança de produtos, terapias, dispositivos médicos ou sistemas de diagnóstico de entidades com fins lucrativos.

  • Os Projetos que solicitarem um apoio superior a 500 000 € deverão incluir no orçamento o custo de uma auditoria externa, que a Instituição Requerente terá de realizar no final do período do Projeto.

    A instituição requerente deverá apresentar o relatório de um auditor (relatório de procedimentos acordados) sobre a conta comprovativa do projeto, onde se especifiquem as despesas atribuídas ao projeto e os procedimentos que o auditor aplicou para validar a atribuição correta nessa conta, de acordo com o orçamento aprovado. Pode atribuir-se este relatório ao auditor de contas da instituição requerente do projeto, ou a qualquer outro auditor com experiência em relatórios de procedimentos acordados sobre contas comprovativas.

    O relatório de auditoria da totalidade do projeto, que deve ser apresentado pela instituição requerente, também poderá incluir relatórios de auditores das instituições do projeto sobre os elementos do seu projeto e orçamento, quando o auditor da instituição principal não os auditar diretamente.