Uma exposição que mostra o legado visual que a exploração espacial nos proporcionou

Durante quase toda a história da humanidade, os planetas que formam o nosso Sistema Solar não eram mais do que uns pontos de luz misteriosos que se moviam lentamente entre as estrelas fixas. Inclusive, depois da invenção do telescópio em 1609, pareciam-nos apenas pequenos discos esborratados, nos quais, no melhor dos casos, se podia apreciar alguns detalhes difusos. Esta situação mudou radicalmente com a chegada da astronáutica, em 1957, quando o Sputnik 1 inaugurou a Era Espacial.

Nas seis décadas que decorreram desde então, nós, os humanos, enviámos embaixadores robóticos (sondas automáticas de exploração) a todos os cantos do nosso sistema planetário, e, pela primeira vez na história, temos, por fim, um conhecimento fidedigno de como são fisicamente os nosso vizinhos no espaço, mundos que agora se nos apresentam tão reais e tangíveis como o é a nossa própria Terra. E, não menos importante: pudemos contemplar a nossa casa como ela é a partir do cosmos, um maravilhoso, e, ao mesmo tempo, pequeno e frágil oásis de vida no espaço.


Objetivo

Aproximar a cultura a todas as pessoas e explorar a beleza e a diversidade das paisagens planetárias.


O que oferecemos

Quarenta imagens impactantes dos planetas do nosso sistema solar, captadas pelas sondas da NASA e da ESA, e selecionadas e processadas pelo fotógrafo Michael Benson dos EUA. Um legado visual que não deve ser valorizado apenas pela sua importância científica, mas também por ser um capítulo singular na história da fotografia.