GUERREIROS E MÁRTIRES

A CRISTANDADE E O ISLÃO
NA FORMAÇÃO DE PORTUGAL


Museu Nacional de Arte Antiga
 

  • ONDE E QUANDO

    Lisboa

    Museu Nacional de Arte Antiga
    Rua das Janelas Verdes
    De 19 de novembro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021

    HORÁRIOS

    Terça-feira a domingo, 10h00-18h00

    Fechado: 25 dezembro, 1 janeiro, domingo de Páscoa, 1 maio, 13 junho.

  • DESCRIÇÃO

    Entre 19 de novembro e 28 de fevereiro de 2021, o MNAA recebe a exposição temporária «Guerreiros e Mártires. A Cristandade e o Islão na Formação de Portugal», a assinalar os 800 anos do martírio de um grupo de franciscanos italianos, que foram mortos no Norte de África, em 16 de janeiro de 1220, e ficaram conhecidos como «Os Mártires de Marrocos».

    O martírio de cinco frades franciscanos, às mãos do poder almóada, é muito mais que um simples ato de vingança sobre evangelizadores vindos da Europa. Ocorre num momento charneira da Reconquista. Desde 1147, com a tomada de Santarém e de Lisboa, que o avanço cristão sobre o sul se tornava, a cada passo, mais notório.

    A exposição, que tem como pano de fundo este século intenso, procura contextualizar o martírio dos franciscanos no panorama político, religioso, cultural e social do seu tempo, propondo uma reflexão, à luz dos nossos dias, sobre este momento derradeiro da Reconquista do ocidente peninsular. Numa altura em que, em simultâneo, se luta e se reza, foram muitos os elementos de afirmação política que nos foram deixados e que se projetaram, ou prolongaram, ao longo de muitos séculos. Por exemplo, a canonização dos mártires cristãos em Marrocos vem a acontecer na segunda metade do século xv, num contexto de guerra e expansão europeia no Norte de África, e da reivindicação do estatuto de Mártir para o Infante D. Fernando, cativo e morto nessa mesma expansão.

  • COMISSÁRIOS

    • Santiago Macias

    • Joaquim Oliveira Caetano, diretor do MNAA