Trabalhos de casa (ensino secundário)

Trabalhos de casa (ensino secundário)

Impacto moderado por custo muito baixo, baseado em provas limitadas.

Custo

O custo é indicativo do gasto adicional a ter em conta para a implementação das evidências: novos recursos tecnológicos, cursos de formação, atividades para alunos, etc. A estimativa de custo é aproximada e se baseia nos custos adicionais de uma turma de 25 alunos.

Eficácia

A eficácia é indicativa da força da evidência com base no número e tipos de estudos disponíveis, na qualidade desses estudos e na consistência das estimativas de impacto dos diferentes estudos.

Impacto
+5 meses
  • O QUE É?

    Global

    Trabalhos de casa refere-se a tarefas dadas aos alunos pelos seus professores, que devem ser realizadas fora das aulas habituais. As atividades de trabalhos de casa comuns nas escolas secundárias incluem a realização de tarefas atribuídas nas aulas, preparação para tarefas em aulas futuras, trabalhos rotineiros e revisão para testes e exames. A nossa definição também inclui atividades como "clubes de trabalhos de casa", em que os alunos têm a oportunidade de fazer os trabalhos de casa na escola, mas fora do horário normal das aulas, e modelos de "aprendizagem invertida", em que os alunos se preparam em casa para debates na sala de aula e tarefas de aplicação.

  • QUAL O GRAU DE EFICÁCIA?

    Global

    As provas mostram que o impacto dos trabalhos de casa é, em média, um progresso adicional de cinco meses. No entanto, abaixo desta média existe uma grande variação no potencial impacto, sugerindo que a forma como os trabalhos de casa são definidos é provavelmente muito importante.

    Existem algumas provas de que os trabalhos de casa são mais eficazes quando utilizados como uma intervenção breve e focada (por exemplo, sob a forma de um projeto ou objetivo específico associado a um elemento de aprendizagem em particular), com alguns estudos excecionais a mostrarem um impacto positivo de até oito meses adicionais no sucesso escolar. É possível que os benefícios sejam mais modestos, até dois ou três meses de progresso em média, se os trabalhos de casa forem definidos mais rotineiramente (por exemplo, aprender vocabulário ou realizar tarefas de exercícios de matemática todos os dias).

    As provas também sugerem que a forma como os trabalhos de casa estão relacionados com a aprendizagem durante o período escolar normal é importante. Nos exemplos mais eficazes, os trabalhos de casa eram parte integrante da aprendizagem, e não um complemento. Para maximizar o impacto, também parece ser importante que os alunos recebam feedback de qualidade elevada sobre o seu trabalho (consulte Feedback).

    Alguns estudos indicam que pode haver uma quantidade ideal de trabalhos de casa – entre uma a duas horas por dia escolar (ligeiramente mais para alunos mais velhos) –, com os efeitos a diminuírem à medida que o tempo despendido pelos alunos nos trabalhos de casa aumenta.

  • QUAL O GRAU DE FIABILIDADE DAS PROVAS?

    Global

    Os trabalhos de casa foram extensivamente investigados. Existe um panorama relativamente constante de os alunos nas escolas que entregam mais trabalhos de casa têm um melhor desempenho. No entanto, apenas um número reduzido de estudos investigou se esta relação se deve aos trabalhos de casa em si ou a outros fatores da escola. Estes estudos comparam turmas em que os trabalhos de casa são introduzidos com turmas semelhantes em que não são atribuídos trabalhos de casa. Estes tendem a demonstrar que os trabalhos de casa podem ser benéficos, mas esta descoberta é menos fiável do que a primeira, devido ao menor número de estudos e à qualidade das provas.

  • QUAIS SÃO OS CUSTOS?

    Local

    Existem poucos custos associados aos trabalhos de casa, embora existam implicações no tempo dos funcionários para preparação e classificação. Os custos globais são estimados como muito baixos.

  • O QUE DEVO TER EM CONTA?

    Global

    As atividades planeadas e focadas são mais benéficas do que os trabalhos de casa mais regulares, mas podem ser rotina ou não estar associadas ao que está a ser aprendido na aula.

    As provas mais amplas sugerem que os trabalhos de casa não devem ser utilizados como castigo ou penalização por desempenho insuficiente.

    É possível que uma variedade de tarefas com diferentes níveis de desafio seja benéfica.

    As provas mais amplas sugerem que a qualidade dos trabalhos de casa é mais importante do que a quantidade. Os alunos devem receber feedback específico e atempado sobre os trabalhos de casa.

    Explicou claramente às crianças o objetivo dos trabalhos de casa (por exemplo, para aumentar uma área de conhecimento específica, ou a fluência numa área particular)?