Aprendizagem com aventura ao ar livre

Aprendizagem com aventura ao ar livre

Impacto moderado por custo moderado, baseado em provas moderadas.

Custo

O custo é indicativo do gasto adicional a ter em conta para a implementação das evidências: novos recursos tecnológicos, cursos de formação, atividades para alunos, etc. A estimativa de custo é aproximada e se baseia nos custos adicionais de uma turma de 25 alunos.

Eficácia

A eficácia é indicativa da força da evidência com base no número e tipos de estudos disponíveis, na qualidade desses estudos e na consistência das estimativas de impacto dos diferentes estudos.

Impacto
+4 meses
  • O QUE É?

    Global

    A aprendizagem com aventura ao ar livre normalmente envolve experiências ao ar livre, como escalada ou montanhismo, cursos de obstáculos, cordas ou sobrevivência, ou desportos ao ar livre, como orientação, vela e canoagem. Estas atividades podem ser organizadas como cursos residenciais intensivos ou cursos mais breves realizados nas escolas ou em centros ao ar livre locais.

    A educação pela aventura normalmente envolve experiências de aprendizagem colaborativa com um nível elevado de desafio físico (e muitas vezes emocional). Também podem estar envolvidas as capacidades de resolução de problemas prática, reflexão explícita e debate de pensamentos e emoções (consulte também Metacognição e autorregulação).

    As intervenções de aprendizagem pela aventura normalmente não incluem uma componente académica formal, por isso este resumo não inclui escolas da floresta nem viagens de campo.

  • QUAL O GRAU DE EFICÁCIA?

    Global

    De um modo global, os estudos de intervenções de aprendizagem pela aventura mostram consistentemente benefícios positivos para a aprendizagem académica. Em média, os alunos que participam em aprendizagem pela aventura fazem um progresso adicional de aproximadamente quatro meses. Existem também provas de um impacto nos resultados não cognitivos, como a autoconfiança.

    As provas sugerem que o impacto é maior para estudantes mais vulneráveis e alunos mais velhos (adolescentes), cursos mais longos (mais de uma semana) e num contexto de "vida selvagem", embora outros tipos de intervenção também mostrem alguns impactos positivos.

    Compreender o motivo pelo qual as intervenções na aprendizagem pela aventura parecem melhorar os resultados académicos não é simples. Um pressuposto pode ser que as competências não cognitivas, como a perseverança e a resiliência, se desenvolvem através da aprendizagem pela aventura e que estas competências têm um impacto em cadeia nos resultados académicos. Se as intervenções na aprendizagem pela aventura são eficazes devido ao seu impacto nas competências não cognitivas, então, é provável que encorajar explicitamente os estudantes a aplicar ativamente estas competências na sala de aula aumente a eficácia. No entanto, é de realçar que a base factual mais alargada na relação entre estas competências não cognitivas e as aquisições dos alunos está subdesenvolvida.

  • QUAL O GRAU DE FIABILIDADE DAS PROVAS?

    Global

    As provas sobre as intervenções na aprendizagem pela aventura são moderadamente fiáveis. A gama de dimensões dos efeitos é bastante ampla, mas todos os estudos incluídos na meta-análise mostram um efeito positivo.

  • QUAIS SÃO OS CUSTOS?

    Local

    Os custos variam, com uma experiência de aventura de vela de seis dias a custar cerca de 665,39 €, e um curso de aventura ao ar livre de sete dias cerca de 609,94 € por aluno. Um curso de cordas custa cerca de 33,27 € por meio dia. De um modo global, os custos são estimados em 554,49 € por aluno por ano, e, portanto, são moderados.

  • O QUE DEVO TER EM CONTA?

    Global

    Uma vasta gama de atividades de aventura está associada a um aumento do sucesso académico.

    As experiências que duram mais de uma semana tendem a ter maior impacto e tendem a produzir efeitos com duração superior.

    É importante trabalhar com funcionários com boa formação e qualificação, pois as experiências de aventura podem ter riscos físicos e emocionais muito diferentes dos vivenciados nas escolas.

    As experiências de aventura ao ar livre podem ter impactos positivos na autoconfiança, autoeficácia e motivação. Como irá maximizar o impacto na aprendizagem, assegurando que os alunos aplicam estas competências quando regressarem à sala de aula?