Aprendizagem colaborativa

Aprendizagem colaborativa

Impacto moderado por custo muito baixo, baseado em provas abundantes

Custo

O custo é indicativo do gasto adicional a ter em conta para a implementação das evidências: novos recursos tecnológicos, cursos de formação, atividades para alunos, etc. A estimativa de custo é aproximada e se baseia nos custos adicionais de uma turma de 25 alunos.

Eficácia

A eficácia é indicativa da força da evidência com base no número e tipos de estudos disponíveis, na qualidade desses estudos e na consistência das estimativas de impacto dos diferentes estudos.

Impacto
+5 meses
  • O QUE É?

    Global

    Uma abordagem de aprendizagem colaborativa (ou cooperativa) implica que os alunos trabalhem juntos em atividades ou tarefas de aprendizagem num grupo suficientemente pequeno para que todos participem numa tarefa coletiva claramente atribuída. Os alunos do grupo podem trabalhar em tarefas separadas, contribuindo para um resultado global comum, ou trabalhar juntos numa tarefa partilhada.

    Algumas abordagens de aprendizagem colaborativa colocam equipas ou grupos com capacidades distintas a trabalhar competitivamente entre si, a fim de fomentar uma colaboração mais eficaz. Existe uma vasta gama de abordagens à aprendizagem colaborativa e cooperativa, envolvendo diferentes tipos de organização e tarefas. As explicações por colegas também podem ser consideradas um tipo de aprendizagem colaborativa, mas no Kit de ferramentas são revistas como um tópico separado.

  • QUAL O GRAU DE EFICÁCIA?

    Global

    O impacto das abordagens colaborativas na aprendizagem é consistentemente positivo. No entanto, a dimensão do impacto varia, por isso é importante que os detalhes estejam corretos. A aprendizagem colaborativa eficaz requer muito mais do que apenas juntar os alunos e pedir-lhes para trabalharem em grupo; abordagens estruturadas com tarefas bem concebidas resultam em maiores ganhos de aprendizagem. Existem algumas provas de que a colaboração pode ser auxiliada por competição entre os grupos, mas isto não é sempre verdade e pode fazer com que os alunos se concentrem na competição e não na aprendizagem que a mesma está a auxiliar. As abordagens que promovem a conversa e a interação entre os alunos tendem a resultar melhor.

  • QUAL O GRAU DE FIABILIDADE DAS PROVAS?

    Global

    Durante mais de 40 anos, várias revisões sistemáticas e meta-análises forneceram provas constantes sobre os benefícios da aprendizagem colaborativa. Além de provas diretas de investigação sobre abordagens colaborativas, existem também provas indiretas que demonstram que a colaboração pode aumentar a eficácia de outras abordagens, como Aprendizagem para o domínio ou Tecnologia digital. A aprendizagem colaborativa parece funcionar bem para todas as idades se as atividades forem adequadamente estruturadas para as capacidades dos alunos, e foram encontradas provas positivas em todo o currículo. Nem todas as abordagens específicas à aprendizagem colaborativa adotadas pelas escolas foram avaliadas, por isso é importante avaliar qualquer iniciativa nova nesta área.

  • QUAIS SÃO OS CUSTOS?

    Local

    De um modo geral, os custos são estimados como muito baixos. A formação contínua para os professores é aconselhável, com custos estimados de aproximadamente 554,49 € por professor ou 22,18 € por aluno por ano para uma turma de 25 alunos.

  • O QUE DEVO TER EM CONTA?

    Global

    Os alunos precisam de apoio e prática para trabalharem em conjunto, não é algo que aconteça automaticamente.

    As tarefas têm de ser concebidas cuidadosamente, para que o trabalho em conjunto seja eficaz e eficiente, caso contrário, alguns alunos irão tentar trabalhar individualmente.

    A competição entre grupos pode ser utilizada para ajudar os alunos a trabalhar em conjunto mais eficazmente. No entanto, uma ênfase excessiva na competição pode fazer com que os alunos se concentrem em ganhar e não em serem bem-sucedidos na aprendizagem.

    É particularmente importante encorajar os alunos com piores resultados a falar e articular o pensamento nas tarefas colaborativas, para assegurar que obtêm um benefício pleno.

    Já pensou qual será o desenvolvimento profissional necessário para auxiliar a utilização eficaz destas abordagens?