Ambiente edificado

Ambiente edificado

Impacto muito reduzido ou inexistente por custo baixo, baseado em provas muito limitadas

Custo

O custo é indicativo do gasto adicional a ter em conta para a implementação das evidências: novos recursos tecnológicos, cursos de formação, atividades para alunos, etc. A estimativa de custo é aproximada e se baseia nos custos adicionais de uma turma de 25 alunos.

Eficácia

A eficácia é indicativa da força da evidência com base no número e tipos de estudos disponíveis, na qualidade desses estudos e na consistência das estimativas de impacto dos diferentes estudos.

Impacto
+0 meses
  • O QUE É?

    Global

    O ambiente edificado é o edifício da escola e as instalações da escola. Intervenções relacionadas incluem mudar para um novo edifício escolar e melhorar o design, qualidade do ar, ruído, luz ou temperatura de um edifício ou sala de aula existente.

  • QUAL O GRAU DE EFICÁCIA?

    Global

    De um modo global, as alterações ao ambiente edificado das escolas dificilmente terão um efeito direto na aprendizagem, exceto em extremos: o impacto é mínimo após ser alcançado um padrão de edificação adequado.

    A mudança para um novo edifício pode ser uma parte eficaz de uma mudança completa na escola, visando melhorar o comportamento e estabelecer novas normas (semelhante à introdução ou alteração de uniforme escolar), mas não existem provas de que novos edifícios ou aspetos particulares da arquitetura melhorem diretamente a aprendizagem. Quando um novo edifício é utilizado como catalisador para a mudança, existem algumas provas que apoiam a conceção conjunta, ou o envolvimento dos professores e de outros funcionários no processo, para os ajudar a assumir responsabilidade pelos espaços de ensino e mudar os seus comportamentos à medida que se adaptam a novas configurações.

    A maioria dos fatores individuais no ambiente físico mostra uma relação com a aprendizagem apenas em extremos. Se os níveis de ruído forem muito elevados (como sob a rota de voo de um aeroporto), pode haver um efeito prejudicial mensurável na aprendizagem. Condições muito quentes (principalmente acima de 30 °C) e muito húmidas podem causar perda de concentração e sonolência. Níveis de iluminação muito baixos podem ser uma barreia à leitura e escrita, mas aparentemente a iluminação nas escolas costuma ser adequada.

    As provas sugerem que uma baixa qualidade do ar interior tem um impacto negativo no sucesso escolar (reduzindo o reconhecimento de palavras em 15% num estudo). A baixa qualidade do ar pode ocorrer devido à acumulação de dióxido de carbono em salas de aula com ventilação insuficiente.

  • QUAL O GRAU DE FIABILIDADE DAS PROVAS?

    Global

    A investigação sobre o impacto do ambiente edificado na aprendizagem é habitualmente fraca, e baseia-se principalmente em estudos correlacionais ou existe sob a forma de inferências de investigação ambiental mais alargada. Existem muito poucos designs experimentais rigorosos, dificultando o estabelecimento de afirmações causais sobre o impacto das alterações físicas.

    Local

    Relativamente à qualidade do ar, existem provas de que algumas salas de aula inglesas têm concentrações de CO2 superiores aos níveis médios recomendados. Considerando que a ligação entre a qualidade do ar e o sucesso académico está mais bem estabelecida do que outros aspetos do ambiente físico, esta pode ser uma área promissora para estudos futuros.

  • QUAIS SÃO OS CUSTOS?

    Local

    É muito difícil estimar os custos das alterações ao ambiente edificado, pois normalmente fazem parte das despesas de capital e não são uma componente recorrente do orçamento de uma escola. Uma escola secundária nova custa cerca de 17 milhões de euros para 1500 alunos, ou 11 089,79 € por aluno. No entanto, é provável que várias gerações de alunos utilizem o edifício. Melhorar a qualidade do ar pode ser relativamente barato, com melhor ventilação, filtração e a utilização de desumidificadores onde necessário. De um modo geral, os custos são estimados como baixos.

  • O QUE DEVO TER EM CONTA?

    Global

    A maioria dos fatores ambientais tem impacto nas salas de aula apenas em extremos.

    É possível que a qualidade do ar seja o fator mais significativo a afetar a aprendizagem, principalmente quando existe má ventilação ou níveis elevados de poeiras e outros poluentes.

    Níveis elevados de ruído exterior também podem ter um impacto negativo no desempenho dos alunos.

    Se tiver um novo ambiente de aprendizagem, este fornece uma oportunidade para mudar as expectativas e o comportamento dos alunos, mas é improvável que tenha um impacto direto na aprendizagem sem outras alterações. Já pensou como irá tirar partido de qualquer ambiente novo para conferir melhorias às expectativas e aos comportamentos?